sábado, 5 de setembro de 2009

Isso é que é apetite.

Desde que eu fiquei conhecendo a cidade de Campinas/SP, a primeira coisa que me foi passado que ali era a cidade dos Gays (preconceito) e que ali o quartel do exercito era cor de rosa e o pessoal ficava de brincadeiras comigo por causa dessas associações idiotas.

Tanto o é que ao conhecer a cidade em si, fiquei encantado com a limpeza das ruas, com a qualidade de vida e com a discrição das pessoas e sem contar que sempre estavam bem vestidas, eram bem educadas e até mesmo classistas, mas como nunca me importei com futilidades, tirei de letra às vezes em que tive de ir até lá e até mesmo cheguei a passar semanas lá e nada contra.

Essa semana ao assistir ao telejornal da manhã, me deparei com um fato que sinceramente eu ri muito e cá entre nós, a protagonista do fato que relatarei mais abaixo é uma pessoa de muito peito.

Uma menina com 11 anos, novinha e com uma vida inteira pela frente, simplesmente quis experimentar o sexo, mas de uma maneira até então fora dos conformes. Ela providenciou o local, o filme e até mesmo uma revista dessas que aparecem fotos de atos sexuais, e chamou 8 rapazes, o mais velho de 19 anos e em ordem decrescente para irem ao tal local e após assistirem o tal filme começaram a colocar em pratica tal ato e ela não titubeou, quis fazer todos com uma certa maestria, afinal de contas como ela mesma relatou na delegacia: - Eu senti vontade de fazer tudo aquilo que estava no filme e assumo a culpa e não quero dar queixa e nem tão pouco acusar ninguém. Isso é que é ter personalidade.

Agora o que será que passa na cabeça de uma menina fazer isso? Pois a mesma vai ficar falada na escola mais do que uma nota de real falsificada e em uma cidade na qual as pessoas são muito classistas e que pra se ter uma idéia nessa cidade não se tem boate e nada que possa denegrir e nem levar as pessoas a pensarem em submundo, pois a zona da cidade é em um local afastado de tudo e de todos e próximo ao Aeroporto de Viracopos, um local fechado e isolado e que os interessados é que devem ir até lá praticar o ato da fornicação, ali pode-se encontrar de tudo, prostitutas, travestis e mixes pra tudo quanto é gosto e por incrível que pareça até casas pra dançar, tem e eu mesmo estive ali acompanhando um casal de amigos heteros e não vi nada de mais.

O que mais me levou a postar aqui no meu Blog é saber que o fato acabou por ir para os telejornais e que tomou uma proporção tão grande que se isso tivesse acontecido há alguns anos atrás com certeza, o fato da sede do exercito ser cor de rosa e os homens de lá serem vistos como gay seria irrelevante, e ao que pude crer que a primeira impressão é a que fica, ou melhor, ficava. Daqui algum tempo vão acabar se referindo ali como a cidade de menina com um apetite sexual de dar inveja ( risos ) Agora a policia quer porque quer fazer o rapaz de maior assumir o erro que partiu da menina e a jogar mais uns dois ou três no meio pra dar mais ênfase e dizer que estão trabalhando.

E por falar em policia, justiça e sei lá qual órgão publico podemos dizer, onde estão que não entram em ação, pra saber por onde andava os pais dessa menina, afinal de contas ela, com 11 anos sozinha em casa e pelo fato ocorrido não seria dito como abandono de incapaz? E que pais são esses que não notaram nenhum tipo de comportamento estranho da filha? Afinal de contas de santinha ela não tem nada, digamos de passagem e coitado de quem o delegado achar que vai levar a culpa!!! Porque mesmo ela dizendo que o desejo de que tal ato se consumasse era dela, sempre é preciso alguém pra assinar o famoso Boletim de Ocorrência, no mínimo a corda vai arrebentar pro rapaz de maior e aos de menores restou apenas o prazer e a experiência pra contar para os outros coleguinhas que cá entre nós se o apetite sexual da ninfeta for tão aguçado assim, com certeza terá altos rodízios a fazer entre os meninos. E começando com 8 na primeira rodada... da-lhe apetite ( risos )

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

De Aluno à Professor, mas sempre aprendendo.


Porque sempre que a gente vê, presencia atos de cortesia e até mesmo de falta de educação e outros defeitos a gente pensa logo na educação?

No atual momento exerço a função de professor e na disciplina da língua italiana e até mesmo na francesa e graças a Deus não tenho tido problemas com alunos indisciplinados e nem tão pouco passado por atos de covardia, mas que as coisas nem sempre são assim, isso todo mundo sabe.

Com a péssima remuneração, com a falta de disciplina e até mesmo a falta respeito pelo mestre que trás pra sala de aula todo o seu aprendizado e que na realidade nem sempre é bem aproveitado. Afinal de contas no País em que vivemos a educação nunca foi tida como um ponto forte, pois a pessoa bem educada e bem informada poderia causar prejuízos aos cofres públicos e antes disso causar prejuízos as famosas urnas eleitorais.

O que eu tenho notado com o passar dos anos é que os alunos de atualmente estão indo para os dois extremos, ou querem saber sobre tudo e manter-se muito bem informado e antenado e par de tudo ou então vão pra aquela parte na qual o desinteresse é tão visível que nem ele mesmo sabe o que fazer em uma sala de aula.

Me lembro que quando eu estava na escola básica que antigamente se chamava de primário acho que era na quarta série, eu tinha uma professora chamada Virginia, sinceramente, era de uma competência invejável aos dias de hoje. Ela tinha presença em sala de aula e sabia se impor e cobrava dos alunos a famosa disciplina e com ela não se tinha moleza, era deveres em cima de deveres e por mais o dia fosse corrido pra ela que tinha várias turmas, no dia seguinte lá estava ela com o controle de classe pronto a corrigir a todos e por incrível que pareça naquela época eu já era um craque na arte de conjugar os verbos e os tinha sempre todos na ponta da língua.

Passei por uma fase boa de aprendizado quando comecei a aprender o idioma italiano e o francês e não me sinto bem capaz do que faço e me proponho a fazer e às vezes pego passando pros meus alunos até os trejeitos da minha ex-professora e atualmente amiga particular Neide, mas cá entre nós o que tem de mal em copiar as qualidades de alguém? Ainda mais quando se trata de uma pessoa competente e de uma sabedoria impar! Isso pra mim é orgulho e pra ela um presente de ter transmitido algo de bom, afinal nas centenas de alunos que teve, com certeza muitos a copiam nem que seja em sua maneira de ler e até mesmo na entonação das palavras.

Mas quem dera hoje os alunos que estudam, sejam em colégios particulares, do estado e até mesmo do município, tivessem a boa vontade de aprender algo, porque o professor é instruído a ensinar e está ali pra isso, mas os alunos nem sempre querem aprender, pois existem cursos pra ensinar, mas não pra fazer aprender, ai é que está o X da questão.

E o que deixa mais a desejar é que quando a pessoa paga seja por qual curso, ela acha que está aprendendo por aprender e quer porque quer que o professor coloque na sua cabeça todas as informações necessárias e sem ter o menor esforço, como fosse tirar um memory card do celular e coloca-lo no drive do PC e transferir todos os dados, simplesmente os alunos hoje em dia, além da preguiça tem a famosa má vontade de aprender e acreditam que se o papai e a mamãe têm o famoso cheque especial com certeza, pra quê estudar??? Pagam pouco, exigem muito e não querem aprender nada.

Já que pra ser famoso, obter dinheiro fácil e até mesmo poder ostentar um certo poder não se precisa de estudos! Temos exemplos vivos disso tanto na TV, na Política, nos esportes e ganham rios de dinheiro, com salários estratosféricos e até mesmo no poder e que agem de acordo com a ignorância que trouxeram de berço e que só não relincham porque o pescoço é curto, mas que como estão em evidência, com certeza continuaram a pensar, fazer as mesmas coisas de sempre. Afinal pra que aprender algo se o dinheiro não tem valor de educação? Eu preferi ser aluno e agora sou professor e quero continuar sendo assim, sempre aprendendo, afinal quem está sempre aprendendo tem a ensinar. Ao contrário de muitos, que se colocássemos sentados nus no chão de terra batida e pedíssemos pra que fizessem a letra O com as nádegas, não conseguiriam. Fazer o quê não é mesmo? E Viva a EDUCAÇÃO e os BEM EDUCADOS. Gosto de cabeças pensantes e intelectualizadas, isso faz um bem não só aos ouvidos, mas ao ego de quem os ensinou.

Imagem extraida do site:: http://www.jota7.com/img/noticias/livro_didatico.jpg

domingo, 30 de agosto de 2009


Que segurança que nada!!!

Nossa! O que mais tenho assistido na TV e por incrível que possa parecer eu mesmo fui vitimado por tal despreparo profissional de pessoas incapacitadas e que se acham cheias de direitos e razões, coitadas, na realidade não são nada, não seguras nem com elas mesmas quem dirá com um ser humano e com um patrimônio.

Gostaria de poder entender um fato que está acontecendo corriqueiramente e que as pessoas são postas a fazerem papeis de ridículos e o que mais me deixa indignado é que são pessoas de bem, pessoas trabalhadeiras, pessoas que tem lá sua responsabilidade e não vão a uma Instituição Financeira pra assaltar. O famoso banco.

Banco esse que cá entre nós aqui na minha cidade inicia o expediente pontualmente às 11 horas da manhã e que às 16 horas e nem um minuto a mais encerra, fecha as portas, somem todos aqueles atendentes chatos, que querem porque querem vender cartões de créditos, planos de seguro, previdência privada e que só sabem aglomerar ainda mais a porta de entrada estreita do banco, um horror.

Agora falando sério o que é que aquela famosa porta giratória tem de tão especial assim? Porque eu um cidadão comum, que portava as minhas chaves, meu celular e nada de mais simplesmente me barrou? Mas claro que depois de deixá-los no compartimento próprio e dar um passo atrás da faixa amarela, e não conseguia adentrar o famoso recinto. E na minha frente uma moça não conseguia tão pouco entrar por causa do seu Notebook e que foi preciso chamar a gerente da agência, e por incrível que pareça dar o tal computador pessoal pra gerente entrar com ele e a correntista voltar pra fila da porta rotatória, é o fim da picada. Agora eu fiquei a pensar e não pude deixar de soltar na fila dessa mesma porta constrangedora e em bom tom que: - Quando um ladrão, daqueles bem mafiosos quer, ele entra, assalta a agência, toma as armas dos seguranças e não tem porta certa que o evite! Porque será?

Sabe que devido a gerente estar ali na frente da porta, mas não a utilizou, pois ao lado sempre tem uma porta maravilhosa que é aberta através de uma chave e quando não os próprios seguranças acionam um botão em um controle remoto (parecido com aqueles de portão automático) e liberam, pois então o fluxo de pessoas foi entrando tão rapidinho que nem demorou muito pra que eu e umas 10 pessoas paradas ali entrassem. Achei isso o fim da picada, e foi mesmo porque bastou que alguém ameaçasse chamar algum jornal pra fazer um estardalhaço que a gerente apareceu, a porta abriu e tudo mais, uma maravilha, só que devido eu ter feito tal comentário na frente de todos inclusive dos despreparados vigias de banco, o povinho viu! Eu fiquei exatamente dentro da agência por mais ou menos uma hora e meia e quando fui sair, um dos vigias apertou o botão do controle e travou a porta pra eu não sair, sabe porque? Pra deixar bem claro que quem está ali no comando da situação era ele, afinal estava sendo remunerado pra isso, mas que como eu não tinha nenhuma arma e nenhuma intenção de assaltar o tal banco, ele fazia aquilo. Agora se fosse um ladrão desses que sai disposto a matar ou morrer e que tem uma metralhadora R sei lá o que, com certeza, entraria, tomaria a arma dos vigias e ainda por cima levaria até o banco nas costas e ninguém faria nada, isso que eu chamo de segurança insegura (risos) Que cá entre nós será tema pra outra postagem, já que sinceramente esse povinho que entra nessas empresas de fundo de quintal, sem a menor preparação e conhecimento e que colocam um uniforme que eles fazem questão de dizer que é farda, não passam de um nada, e o grande sonho é na realidade ser policial, mas como não tem preparo algum educacional e nem profissional não passam de uns simples vigias e de bancos que são frequentemente assaltados. Cada um tem e veste a farda que merece. Isso é o que eu digo de terceirização, será que essa palavra tem algo a ver com terceira categoria? Ou seria de quinta categoria pra.... Alguém pode me explicar? Só queria saber.

sábado, 8 de agosto de 2009

Me senti de saia justa !!!

Bom que eu sou um cara de bem com a vida e sempre seguro de mim, a maioria dos meus amigos sabem disso, afinal nunca deixo margem de duvida em nada do que faço e isso me faz ser uma pessoa sempre de bom astral e de bem com a vida, mas como sempre fui um cara meio que sem medo de ser feliz e tão pouco sem medo de encarar a fera, acredito que devido no auge dos meus 44 anos ou eu estou ficando mais seletivo, cheio de manias ou então estão ficando mesmo é com o famoso medo de ser louco e errar (risos). Ontem eu fui me encontrar com a minha mãe pra resolvermos um assunto pendente e passar o dia juntos e graças a Deus tudo transcorreu na mais perfeita ordem e mesmo o que não deu certo com certeza não foi algo tão grave assim que me deixasse tão irritado.

Bom sai da minha casa cedo, e como gosto de preparar o meu espírito pra tal, eu nem me importei de acordar cedo e nem nada, e fui pro meu encontro familiar, um tempo bom e passei um calor danado, mas como era pra estar ao lado da minha mãe tudo valia à pena, bom depois de tudo semi pronto e com algumas pendências que ficaram pra próxima semana, eu me despedi da minha mãe e prima e voltei pra minha casa e como ela está morando atualmente em Franco da Rocha/SP um município pra lá de longe e só sei ir de trem pra lá, lá fui eu, pegar o trem pra voltar pra Estação da Luz e fazer uma baldeação pro metrô sentido Jabaquara e não é que eu me senti meio que nu mesmo estando vestido! Afinal de contas eu peguei o comboio das 16 horas e não é que achei lugar vago pra sentar e por incrível que pareça um anjo também achou um lugar vago bem na minha frente, eu sentado de no sentido direito do trem e ele sentado naqueles bancos que aqui em Sampa se chamam de banco dos bobos, aqueles que ficam atravessados bem de lado e que dão de frente com os outros bancos, eu acho uó sentar ali, parece que a gente não tem opção de olhar a não ser pra pessoa que está a nossa frente e eu procuro sempre o banco normal e só escolho aquele se por falta de opção mesmo.

E como eu estava sentado e com os braços cruzados em cima da minha bolsa, onde continha documentos, celular e a minha blusa, pois estava um calor danado, eu simplesmente cruzei os braços em cima dela para acaso algum amigo do alheio quisesse fazer uma graça ia ser difícil de tirar dos meus braços e ainda ia levar umas bordoadas pra aprender, mas isso não vem ao caso (risos) Simplesmente o tal anjo eu nem falei com ele, alias eu apenas notei que ele não tirava os olhos de mim, e fixou tanto o olhar em mim que ficou difícil de eu não olhar, pois o mesmo era uma graça, fortinho do jeito que eu gosto, estava de bermudão, sapatos, camisa e blusa também, branco, cabelos e olhos castanhos escuros, deveria ter 1,80m e no máximo uns 25 anos, barba por fazer mas sem aquele aspecto de sujo uma graça mesmo, fiquei encantado e ele pelo que notei por mim também mas só naqueles lances de olhar mas de tal maneira que me deixava até sem graça pois parecia que ele não estava vendo que estávamos em um vagão de trem e tinha muita gente, isso chegou a me causar um certo desconforto pois cá entre nós as pessoas poderiam notar isso e sermos alvos de comentários e isso não é legal e não cai bem. Porque por mais que eu seja liberal, certas coisas pra mim têm limite. Eu fui ficando tão sem graça de tanto que o rapaz me encarava que por muito pouco não comecei a rir e me senti meio que perdido, e pensando: - Já pensou se ele tivesse a coragem de vir falar comigo? O que eu iria fazer? Afinal ali era um trem e eu já não sou um jovem inconseqüente e nem tão pouco um homem que está nos perfis de beleza aceitável, sou um cara normal e com 4.4 com as peças originais (risos), mas sei o meu lugar e como sempre eu prefiro cantar a ser cantado apesar de estar na fase de caçador, mas que fiquei tentado isso eu fiquei e sinceramente como eu gostaria de ter uns 20 anos a menos e não me esquentar com nada e nem tão pouco com o que os outros possam pensar de mim, afinal quem estava sendo comigo com os olhos era e ois outros que se mordessem de raiva, eu quase chamei o rapaz de lado e disse pra ele – Quer fazer o favor de vestir a minha roupa ( risos ) tamanho era a maneira como ele me olhava, e a sabe que eu comecei a olhar pra ele quando o mesmo estava vendo outra coisa e cá entre nós, uma delicia de rapaz, um gatinho, mas ainda não perdi o juízo e nessa altura do campeonato não sei se faria isso, hoje com a maturidade eu tenho os meus medos e por culpa deles não me exponho de maneira alguma. Dizia a Dercy Gonçalves há alguns anos – Se ele não é ladrão de ladrão, com certeza vai ser ladrão do meu coração e eu não quero isso pra mim não.

Lógico se isso me acontecesse em outra época, em outro lugar e eu estivesse vivendo em outro momento com certeza eu desceria na mesma estação de trem que ele desceu, nem que fosse pra conversar e quem sabe trocarmos nomes e números de telefone e um possível encontro num futuro próximo. Mas como não tinha de ser não foi e se acaso for alguma arte do destino, com certeza iremos nos encontrar mais vezes e quem sabe partiremos para as vias de fato, afinal até as pedras se encontram. Claro sem deslizamento e nem tempestades e com muita segurança e com isso que me aconteceu foi bom pra eu poder ver que não estou deixado de lado e mesmo com a minha cara séria e amarrada eu ainda tenho certo charme, escondido, mas tenho e ainda desperto interesses, ao menos valeu passar por essa saia justa!

Foto extraida do site: http://fotocache02.stormap.sapo.pt/fotostore02/fotos//32/ce/6f/35653_00048by4.jpg

Ele saiba o que dizia;

Bom ontem dia 07 de agosto de 2009, uma plena sexta-feira, eu acordei muito cedo, pois tinha uns compromissos fora da cidade na qual moro e pra meu espanto após um dia de sol estilo rachar mamona amanheceu uma chuva torrencial aqui no Litoral/SP onde moro que sinceramente dava até pra cachorro beber água com a boca virada pra cima de tanto que chovia e eu tive de me arrumar, sair todo encapotado como se estivesse acabando o mundo. Bom não poderia sair muito a vontade porque além da chuva estamos em pleno inverno e com certeza o frio até que estava normal mas aquela chuva nem estava nos meus planos. Afinal ir pra Sampa a compromissos e ter de sair de casa mais um pouco de galocha seria o fim da picada não é mesmo? Bom, liguei pra um serviço de pegar passageiros em casa e levar para São Paulo e lá fui eu às 7 horas da manhã e meio que de mau humor já que ter obrigações e compromissos em dia de chuva ninguém merece, e pra meu maior engano ao pisar em na Capital do Estado onde nasci dei de cara um dia lindo, maravilhoso, sol e tudo mais e eu feito uma banana a milanesa que sinceramente não sabia o que fazer ao menos a blusa pude tirá-la e colocá-la dentro da minha bolsa e continuar os meus afazeres, mas isso é outra historia.

Como eu moro em uma cidade na qual eu posso fazer um mundo de coisas e sem me preocupar com horários, pois aqui tudo é perto e tudo se pode fazer de bicicleta (ladrões de bicicleta à parte) já cheguei lá estressado no bom sentido afinal ali tudo é demorado e o transporte urbano não é lá essas grandes coisas e eu fui tão sortudo, mas tão sortudo que nem mesmo acreditei que fosse tão rápida a minha passagem por Sampa. Ao chegar ao Jabaquara eu vi tanta fila que sinceramente eu fiquei meio que perdido e quase dei uma de macaco e peguei uma delas apenas pra seguir as pessoas, mas logo cai em mim e olhei mais adiante e vi uns guichês vazios e fui e comprei o meu bilhete metrô com direito a integração ao Trem afinal de contas eu ia para Franco da Rocha e eu só sei chegar lá de trem porque de ônibus nem sei onde tem um terminal no qual eu possa pegar. Desci pra estação tinha um metrô bem dizer a minha espera (olha a confiança) e me acomodei naquelas poltronas duras que sinceramente ali se a pessoa sentir que tem um gás (peido mesmo) engatilhado e pensar em fazer tal coisa dentro do metrô vai fazer feio, pois aquele plástico com certeza vai entregar o tal infeliz, tamanho o barulho que deve ecoar por entre as nádegas e o banco (risos) Mas o que mais me impressionou quanto ao metrô de São Paulo não foi a velocidade e nem a limpeza em si e nem tão pouco uma certa organização e nem tão pouco o atendimento, pelo menos pra mim correu tudo bem.O que me deixou meio que abismado foi ver que dentro de cada vagão/composição têm mais ou menos uns 4 ou 6 aparelhos de TV ligado todos com Close Caption (legendas), que passam sei lá o que, porque você só consegue ler se estiver de pé e mesmo assim a uma certa distancia pois são de Telas LCD e cá entre nós não foi a melhor invenção do homem mas tudo bem. Agora cá entre nós pra que tal coisa? Pra que tal gasto absurdo? Pois eu observei no decorrer da minha viagem entre o Jabaquara e a Luz, ida e volta que ninguém ali olhava para aqueles aparelhos e nem tão pouco se davam ao luxo de observar as noticias, inclusive até mesmo sobre a gripe suína que está matando muito e causando medo na população e olha que ali se eu não me engano passam milhares de pessoas diariamente, não sei bem dizer o quanto, mas é muita gente, principalmente em horários de pico, aquilo ali deve ser o verdadeiro inferno de Dante, Deus me livre daquilo ali (risos) E como bom ariano que sou, fiquei olhando pra aquela tela no intuito de entender alguma coisa e não obtive sucesso apenas li mesmo quando falaram da gripe suína e pronto. Pois não tinha sequer um som, volume ali não tem e também pra quê? Pois aquele barulho dentro dos túneis é tão grande que mesmo que colocassem os aparelhos de TV no ultimo volume seria impossível de ouvir, nossa coitado da pessoa que trabalha ali dentro por horas a fio, quando chega em casa deve ficar com os ouvidos apitando, credo. Ali nem mesmo uma conversa a dois ao pé do ouvido se consegue ouvir quem dirá entender algo, eu mesmo sabia onde tinha de descer por ter nascido ali, mas se dependesse da voz que saia naquele microfone: - ESTAÇÃO LUZ, POR FAVOR, SAIA PELA DIREITA. Olha é de ficar se perguntando, tanta tecnologia e nada humano, engraçado que até mesmo o visual das pessoas e o olhar delas pareciam mesmo que ali, todas ligadas no automático, não sei como é possível, mas é o que me pareceu tal ida a São Paulo, achei tudo tão frio, tão sem vida e ao mesmo com tanta gente, daqui mais um tempinho não teremos mais com quem falar e nem iremos querer falar com ninguém, já que tudo está tão plugado no dia a dia que o calor humano vai ser apenas mesmo dentro de nossas casas e o distanciamento é evidente até mesmo pela circunstancias mas como dizia um professor amigo meu da USP Prof° Gil Sodero de Toledo – Não faça cara feia Marcelo, e quando estiver bravo faça um desenho de um rosto sorrindo aqueles bem rascunhos mesmo e cole no espelho ou na porta da sua casa e escreva em baixo: Sorria, nem que seja de você mesmo. Não é que ele tinha razão!!!

Foto extraída do site:

http://suicidiovirtual.net/blog/wp-content/uploads/2008/09/metro_sampa.jpg

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Ídolo, entre a fama e a lama e morto


Passado quase um mês após a morte de uma celebridade mundialmente conhecida, por tantos amados e por outros odiados, inclusive a imprensa marrom que cá entre nós denegri a imagem de qualquer pessoa e em qualquer parte do mundo, hoje vejo que a fama é uma loucura, é um despertar com o raio do sol dentro da cabeça da gente literalmente falando é cerebral tal brilho, tanto o é que a pessoa que não era tão conhecida assim passa de uma hora pra outra a ter tudo o que nunca sonhou em ter e tão pouco imaginava que o teria. Aí vem um cara denominado de empresário e que tem incutido em si todas as malicias que a vida pode ensinar e usa o tal talento pra ganhar zilhões de dólares, euros ou até mesmo real, tanto ele ganha como o tal anjo da guarda ganha também, pois a porcentagem contratual nunca deixa de valer na hora da contratação do show e mesmo que a celebre personalidade não cumpra tal acordo por motivos até de ordem física e saúde, ele não deixará de ganhar.

Eu bem dizer cresci ouvindo musicas do Michael Jackson, bem dizer fui fã dele, mas não comprei muitos LPs e nem tão pouco CDs dele, pois há algum tempo não muito distante o valor de tal aquisição era medido de acordo com o sucesso do cantor que mais parecia medido pela cotação do dólar, isso até mesmo com cantores brasileiros, bastava ir a uma loja de discos que a gente sabia bem quem estava em evidência. Acredito que seja esse o motivo maior por não ter comprado CDs dele.

Ai esse cantor maravilhoso ficou no ápice de sua carreira que foi conquistada desde muito novo, com muita labuta, uma abdicação de muitos momentos bons e ruins ( aqueles que a gente quer ficar só ) e não pode ficar por ser uma celebridade. Lembro-me que cheguei a assistir a um filme que se chamava O Mágico de Oz. dos Negros, no qual vários cantores trabalharam e que chegou a passar várias vezes na sessão da tarde na famosa emissora de TV, a poderosa mesmo. E todo o ano a grande magia do lançamento de mais uma obra que sinceramente tinha o seu crivo, uma perfeição com riquezas de detalhes, luxuosíssimo e todo um aparato da mídia que causaria inveja até mesmo ao mais famoso políticos do mundo, porque era de se parar um pleno horário nobre pra mostrar ao mundo a sua mais recente criação.

De repente e não mais que de repente o Cantor, o Showman, a Personalidade some dos meios de comunicação, cai em ostracismo regado a muitos escândalos e envolvimentos ilícitos que o faria sucumbir por tal abandono de grande parte dos meios de comunicação, pra se ouvir uma musica sua era preciso procurar por várias vezes no dial do rádio e mesmo assim encontrava-se uma vez por outra em uma emissora sem muito valor comercial tocando uma de suas musicas. Afinal ele não tinha nenhuma novidade musical pra estar no ar, nas raias do radio e sim se aprofundando em escândalos e coisas a mais do gênero, achacaram com o ser humano, com ídolo de muitas gerações, com homem, com provedor de várias pessoas, afinal ele tinha uma legião de empregados que sobreviviam do seu sucesso e que agora no real estão órfãos de seu bem maior e que tão cedo não conseguiram outro posto de trabalho pra se manter, pois vida cara, com certeza despesa mais cara ainda. Sinceramente não vou dizer que fosse tão fã dele assim, não deixaria de comer um bom lance em uma dessas Fast food da vida e nem tão pouco de comprar uma outra coisa tão somente pra comprar uma de suas obras mas eu já contribuía da minha maneira ao ouvi-lo radio e ao assistir pela TV um de seus Shows ou Clipes e ao me deparar com a noticia de seu falecimento sei que foi decepcionante não só pra mim mas pra muitos fãs, mas o que mais deixa abismado é saber que o mundo parou pra dizer que ele o IDOLO MICHAEL JACKSON morreu, e ai tocaram pra tudo quanto foi lado suas canções, fizeram reprises de tudo o que ele fez e muito mais ficaram querendo traze-lo de volta a mídia, esquecendo-se que ele havia morrido, ele o ser humano e que mesmo que a sua obra perdure e fique pra posteridade que nós sabemos que ficará, isso não o trará de volta, então porquê será que fizeram agora tudo isso pra chamar a atenção de seus fãs? Ídolo morto não vai poder ganhar nada, não vai poder fazer nada e porque não fizeram as famosas homenagens a ele enquanto estava vivo e no ostracismo com certeza isso teria ajudado e bem a ele se reerguer, hoje essa parafernália chamada de mídia corre atrás de tudo que ele fez e olha que não fez pouco por simples dor na consciência, peso mesmo, pois ele veio de baixo, passou o que passou chegou a fama e foi atirado a lama e estava ressurgindo como uma fênix mas por obra tão somente do destino a sua matéria não pode dar o famoso tapa com luva de pelica, no caso dele com uma luva finíssima e com luzes, que era pra dar um tapa sim mas com muito brilho. Acabou tudo, a luz se apagou, as cortinas se cerraram e a Imprensa marrom sobreviverá à caça de mais uma celebridade pra ter do que falar, o que vender e ganhar seus zilhões à custa da desgraça alheia. Enfim esse é o destino de se ser tão celebre. Ao menos deixem ele descansar em paz.E tenho dito.

Foto extraída do site: http://horasextraordinarias.files.wordpress.com/2009/06/michael-jackson-thiller1.jpg

sábado, 11 de julho de 2009

Vale quanto pesa.

Bom, sinceramente estou encantado, pra não dizer decepcionado com a nova modalidade de se poder ter a famosa recordação dos entes queridos e cá entre nós são de valores altíssimos. Em uma época onde o consumismo anda de mãos dadas com o bandidismo, agora terá mais um motivo pra aguçar a vontade de pessoas menos favorecidos, nada contra de cada um fazer o que quiser com os corpos, as cinzas dos entes queridos, afinal quem fica do lado de cá e com certo poder aquisitivo pode colocar as cinzas em vasos, jarros, cachê-pot e até mesmo alugar uma lancha e despachá-la em alto mar, mas transformar as cinzas em diamantes e usar como pingente é o que não estava faltando pra quem não tem muito que fazer.

Agora eu fico a pensar em certas coisas que as vezes vejo no dia a dia pela TV e tenho a sensação de muitas pessoas estudam, se formam catedraticamente e ostentam uma coletânea de diplomas emoldurados e em paredes de boa pintura e com certa hierarquia e até mesmo exigem ser chamados de Senhores Doutores e Cientistas pra se dar a esse trabalho. Porque uma pessoa de pouco conhecimento não teria tal capacidade e nem tamanha façanha.

Eu mesmo tenho muitas pessoas na minha família que já fizeram a famosa passagem e que estão em algum lugar no Cosmos e que já cumpriram a sua missão, e cá entre nós eu não iria ter um gasto absurdo que chega a valer R$ 50 mil, dependendo do quilate, estamos em uma crise absurda que mais uns anos iremos ter falta de um tudo, de comida, de água, de saúde e os famosos ricos com seus familiares guardados dentro de um cofre de banco e pago, porque aquela segurança toda só mesmo tendo grana pra manter o tal diamante das mãos dos trombadinhas. Já imaginaram a cena? Um ladrão entrando na sua casa e dizendo: - Isso é um assalto. Quantos mortos o senhor tem dentro do seu cofre? Ou – Nós viemos aqui buscar os seus parentes que estão com a cotação em alta na bolsa de valores. Realmente isso não pode. É o fim da picada.

E uma missa de corpo presente; o padre vai ter de mudar os dizeres na hora de encomendar a alma do cidadão. Ao invés de dizer, do pó tu viestes e ao pó tu voltaras.... Passará a dizer: - Do pó tu viestes e ao diamante tornarás. Enquanto isso o oxigênio do planeta terra acabando claro que agora com a ajuda das cinzas dos mortos. A água que tantos gastaram antes de morrer também está acabando e nada sendo feito pra mudar essa tristeza. E os mortos que morrerão de fome? Será que seus corpos serão comprados por uma simples bagatela pra aumentar a fortuna de algum colecionador de diamantes?

Hoje temos doenças pra todos os níveis sociais, crises pra tudo quanto é lado e também a violência que a segurança mundial perdeu o controle, e os senhores que são chamados de senhores da razão perdendo tempo em inventar futilidades, mas também olhando por outro patamar podemos dizer que daqui alguns anos não teremos mais que nos deparar com cemitérios chiques e caros, pra que ter estes gastos com condomínio e manutenção de criptas, sendo que dentro de um cofre de uma mansão não se corre tantos riscos.

Realmente estamos na época do vale quanto pesa, mas não no sentido de obesidade e sim de quilates. Ah me poupe. E enquanto isso a Dengue e a Gripe tipo A alastrando-se e a AIDS matando como nunca, será que um diamante de um rico morto com algumas dessas mazelas não será transmissível? Eu hein, quero isso pra mim não.

Foto extraída do site:

http://g1.globo.com/Noticias/PlanetaBizarro/foto/0,,16226164-EX,00.jpg

terça-feira, 23 de junho de 2009

Remédios caros, falsificados e que enfim não curam...


Já se vão alguns anos nos quais aqui no Brasil foi constatado que a mulher mais bonita era homem ( Roberta Close) e que por muitos anos ocupou capas das mais conceituadas revistas e teve todo o glamour no qual com plena certeza ela fez jus a tal titulo, bonita, educada e clássica, mas o que eu quero me referir hoje é um trocadilho, como se pode levar as coisas tão sérias sendo que além de tudo acima citado ainda temos uma saúde deficiente, incompetente e por incrível que pareça a pior em relação ao tratamento ao ser humano.

Onde já se viu, vivermos a mercê da boa vontade de pessoas que venham a nos tratar e que não demonstram a menor boa vontade, ministros da Saúde que nem formação acadêmica para serem médicos tinha e que exerceram erroneamente tal profissão.

E não tão longe assim, passamos por aquela fase em que as mulheres casadas, solteiras, de vida sexual ativa e que com juízo na cabeça queriam ter em suas mãos o controle da natalidade, já que tinham sim a disposição para o sexo, mas não pra serem mães e que por incompetência ministral e até mesmo governamental, ao passar nove meses do uso de pílulas preventivas de gravidez, se viram mães a força e foram obrigadas a entrar na justiça e por incrível que pareça ganharam a tal questão e forma indenizadas. Mas a brincadeira não se deu por satisfeita ai, hoje ao necessitarmos de remédios pra poder fazer qualquer tratamento seja ele normal ou de uso continuo, não o encontramos, por quê ??? Primeiro que as farmácias que deveriam ser para o povo, são para a elite onde as madames vão buscar os remédios ali pra não gastarem o dinheiro do salão de beleza e poderem ficar mais bonitas e assim sendo tiram a vez das mais necessitadas. E sem contar em remédios que são extraviados pra farmácias particulares como se fossem comprados e por ai o povo sair perdendo novamente e tem aquela parte em que escondem tanto o remédio que é doado pelo governo (doado uma cebola, pago com o nosso imposto devidamente recolhido) que o mesmo vem a se deteriorar e pra tal prova dos ombros dos responsáveis, jogam em algum terreno baldio e mais uma vez o povo fica sem e agora pra piorar tal situação, os remédios que deveriam auxiliar curar algumas mazelas não o fazem, não o fazem porque na realidade não são remédios e sim pílulas de farinha de trigo e sei lá mais o que, e que o governo paga uma fortuna imensa pra que curem o povo, mas se esquece que dentro desse pagamento que é feito indiretamente através dos nossos impostos e ninguém nunca parou pra prestar atenção nisso. Que não tem que não curam que se estraga que jogam fora e ninguém assume, ninguém responde por nada e o povo é obrigado a recolher em qualquer compra o seu famoso IPI, ICMS, I sei lá do que mais e que nada fazem, nada curam e pessoas desprovidas de sorte de nascerem em família rica e com condições morrem sem nada ser feito, e agora?

Agora um País onde, se tem médicos que não são médicos, verdades que são mentiras e um homem que foi considerado a mulher mais bonita do Brasil, com certeza terá o que mais a proporcionar? Pirataria, roubalheira e remédios falsos e a venda, que pra dar mais ênfase que aqui nada é tão verdadeiro e nem tão sério. Já que em governos anteriores se usam de pouquíssimos investimentos na área da Educação pra não abrir tão os olhos dos brasileiros, passado a época de abstinência estudantil, onde muitos começaram a entender o que era certo e o errado, partiram-se ao ataque da saúde, pois os que enxergam demais entendem demais e falam demais, só podem morrer cedo demais, nem que seja de causas naturais, afinal saúde debilitada e sem ter como curar, só resta mesmo, sucumbir. Dizem que e o fim pode ser o começo pra algumas coisas, nesse sentido da saúde o fim é o fim mesmo e ponto final.

Foto extraida do site:

http://vidaempaz.files.wordpress.com/2008/10/remedios1.jpg

sexta-feira, 19 de junho de 2009

E era apenas uma festa.

Ao se passar uns dias do fato ocorrido e por fazer parte mesmo que não participativa da comunidade GLBT, achei-me no direito de comentar sobre tal fato que por incrível que pareça, acontece há alguns anos e mesmo assim ainda provoca sentimentos diversos pelo fato de pessoas inconformadas com a própria vida a se preocuparem com a vida dos outros e principalmente com a cama alheia, tomam atitudes impensadas e com danos irreparáveis tanto pra quem praticou como para a família de quem perdeu um ente querido, e pior disso tudo em um dia de festa. E festa popular.

Agora voltando ao assunto da festa em si, nossa como as mentes variam na diversidade e também nas culturas e até mesmo nos imensos tubos de maquiagem usadas ali. Estava assistindo aos brakes do jornalismo das TVs e vi que as câmeras davam toda a cobertura ao fato, mas de uma maneira tão engraçada que sinceramente se parássemos pra pensar, como a vida é engraçada mesmo, e explico o porquê de tal pensamento;

Eu vi que tinha inúmeras pessoas, acredito que o calculo divulgado pela imprensa seja feito a olho, por estimativa, mas como tinham Marilyns, e até celebridades ali e políticos, afinal a Comunidade pode ser excluída de um monte de benefícios, mas não pode ser excluída de votar, não é mesmo?

Os políticos já apareceram diante das câmeras porque senão fosse pelo crivo de suas assinaturas com certeza não deixariam que tal fato acontecesse e parasse a principal Avenida de São Paulo, a Avenida Paulista, o centro empresarial e financeiro do Estado. As celebridades estiveram presentes e até algumas que já estavam digamos que nos ostracismo e que como não se adaptaram com a ausência da fama, digamos que foram dar o ar da graça e dar uma de amigas da Turma pra poderem se auto promover e as que estão em evidência correram pra lá, afinal o que tinha de câmeras e flash, nada melhor do que quem está acostumado com aquele relâmpago de tirar a visão de qualquer um em ser clicado ao meio da multidão. Afinal tudo ali acaba querendo ou não virando noticia.

Agora quanto às personalidades anônimas e ao mesmo tempo usando de uma admiração por ser ídolos, ora vivos e ora mortos é admirável tal caracterização, de uma perfeição que acredito que até mesmo o próprio mito se sinta com uma ponta de inveja na performance ali demonstrada. Realmente estão de parabéns aos senhores cabeleireiros, maquiadores e transformistas e é de se tirar o chapéu pra aquelas senhoras com certa idade avançada pelas rugas em seus rostos, o corpo já sem tanta firmeza e, mas com uma compostura e elegância de fazer inveja e livres do tal preconceito. Estamos em pleno século 21, ano de 2009 e com tudo a que temos direito, doenças, catástrofes, acidentes e mortes inconsoláveis e as pessoas de má índole foram ali em um local onde era pra ser uma grande festa e bagunçaram o coreto e até mesmo levaram a morte de uma pessoa. Isso tudo por despeito, por desrespeito ao ser humano, e falta do que fazer, afinal com certeza os que tentaram causar danos, conseguiram, mas antes de qualquer coisa causaram a si mesmo um sentimento que digamos de fracasso. Na realidade eles gostariam era de estar ali, de se divertirem e até mesmo participarem com direito a cílios postiços, batons, pancakes e silicones, tubos de maquiagem, mas nem todos têm a coragem de se assumir e ser algo que está incontido dentro do próprio ser, e usam de massacre aos corajosos a maneira de expressar a sua própria revolta de não ser uma Marilyn mesmo que montada, fantasiada, mas que está ali pra se divertir. Afinal é tudo festa. E que festa!!!! Tirando os contratempos, Viva a Passeata GLBT.

Imagem extraída do site:

http://spintravel.blogtv.uol.com.br/img/Image/Spintravel/2008/Abril/parada%20glbt.jpg

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Quero ser Jornalista, eu quero

Ontem, dia 17 de junho de 2009 por volta das 22 horas, eu estava distraidamente longe em pensamentos e nem ai para o jogo de futebol que não tem nada a ver com os meus gostos, e algo na TV me chamou a atenção e foi de tal maneira que parei para ver chamadas do Jornal da Noite no qual passa em uma poderosa emissora de rede nacional.

E pensando no que foi decidido junto ao Tribunal Superior é de se tirar o chapéu pra tal atitude, foi de muito bom tom, claro que um diploma, canudo ou sei lá qual mais denonimação que possa se dar a um documento que sério para uns e tão banalizados por outros e que muitos o levam ao pé da letra e outros ao fundo do bolso e do famoso de quanto pode render tal profissão.

Ao saber que pra se exercer a profissão de jornalista a partir do presente momento não é mais necessário ser formado em jornalismo e gostei da idéia e pairando em meus pensamentos o que mais estava me irritando é saber que estão banalizando os cursos superiores e agora querendo que até os profissionais da beleza, tais como: cabeleireiros, manicures, pedicuras, esteticistas e sei lá mais qual profissional tenham o tal diploma. Agora onde é que vão colocar tanta gente assim formada que lutaram anos com a cabeça enterrada sobre livros, atrás de carteiras horrorosas e com horários pra lá de apertados pra um monte de coisa, prazer, amor, família, lazer, enfim uma gama enorme de coisas que são abdicadas em prol de uma formação superior que no fim das contas em várias ocasiões os tais formandos não conseguem sequer ganhar os proventos condizentes com a profissão sonhada. Em um País onde pra se ganhar bem e se ter vantagens basta ter um bom padrinho ( o famoso de quem o indicou ) ou então ser uma pessoa de boa lábia e uma cara de dissimulado e ainda por cima ter uma boa roupagem e uma boa conta bancária nem que venha do pior inimigo pra satisfazer o próprio ego do poder, mas isso é tema pra outro postagem.

Mas pra se ser um jornalista competente a partir de agora não precisa de diploma universitário e tudo mais, mas com certeza será necessário a capacidade e o famoso dom que de certo já veio formado junto com a sua personalidade e que ao passar dos anos e com cadeiras e horas a postos pra saber onde, como e quando buscar algo que venha a chamar a atenção da massa. Agora se parássemos pra pensar, só falta mesmo pra se ser cantor, ator e até mesmo se inscrever nesses programas fúteis Reality Show da vida, exigir diploma, é o cumulo.

Agora fico a imaginar em minha sã cabeça pensante, uma faculdade no qual se aprenderia a cantar musicas que só sabem expressar a discórdia alheia e que não transmitem nada para o intelecto humano, um curso onde se aprenderia a como balançar a protuberância traseira e cantar uma musiquinha que não diz nada com nada e ainda por cima a usar um nome de guerra relacionado com alguma fruta e mesmo assim, se achar a pop star!!!! E um curso de como usar o próprio orgão sexual pra poder fazer um filme pornô e depois ir pra frente das câmeras e dizer, que tudo aquilo ali é arte ( desde quando que pra se trepar é necessário de estudar??? ( Se colocássemos um cachorro que nunca conviveu com outro animal junto com uma cadela no cio, com certeza faria o mesmo e sem precisar ensinar ) E uma disciplina que nos ensinaria a como trapacear, a como dar golpes e fazer conchavos e com pós graduação em falsidade e doutorado ser dissimulado, ia ser o famoso crème de la crème. E onde ficariam os famosos cantores, atores, e as pessoas de bem, porque o mundo da fama, por mais fantasioso que seja, chega uma hora que a majestade tem de se olhar no espelho e poder enxergar que há algo de errado com ela, imagine um ser comum querendo ser algo além do que lhe veio de berço e usando todos os métodos muitas vezes ilegais e a todo custo... isso é que é tema pra se ouvir a musica; Dança da Solidão.

Olha sou a favor de se poder exercer todo o tipo de profissão, desde que se tenha talento para tal, claro que não estou me referindo há algumas profissões que com certeza se e necessário um senhor de um diploma e anos de estudos que nunca param e mesmo assim sempre se tem algo a aprender, e mesmo assim ainda se têm alguns profissionais que erram na sua expressão escrita e acabam com sonhos, que erram no corte afiado de um bisturi não devidamente esterilizado e que por fim deixa uma pessoa mutilada, um mau atendimento que provoca a morte ao invés da vida. Agora ser um cara do bem e que exerça uma profissão na qual passe ideal, que atinja a massa sem causar danos e que com muita categoria prove ao próximo que antes de um Diploma de Bacharel em tal disciplina, prove a sua própria credibilidade a si mesmo. Eu quero ser jornalista.

Foto extraída do site: http://www.eupodiatamatando.com/wp-content/uploads/2007/05/capa_opovo_22052007.jpg

sábado, 13 de junho de 2009

Convivendo com um inimigo


Hoje um sábado, após uma semana louca, exaustiva, tanto emocionalmente quanto no aspecto físico, disse pra mim mesmo que iria dormir até as tantas e que não queria de maneira alguma ser incomodado e nem tão pouco ter de me preocupar com nada, já que a semana que se passou foi aquela de me deixar com os cabelos mais brancos do que já estão ledo engano.... Acordei com a campainha da minha casa tocando nem eram 8 horas da manhã e pra meu maior espanto, era o rapaz da Net, Empresa que me conecta com o mundo virtual, dá acesso ao telefone e ainda por cima me proporciona alegrias televisivas. Dizendo que vieram para a retirada do equipamento e o desligue da minha conexão. E o pior de tudo é que eu não solicitei nada e nem tinha a intenção de me livrar de algo que me diverte e dá prazer. Só mesmo sendo louco. Pois o que mais estou precisando é de momentos de distração pra não ficar lembrando o passado, como diz minha mãe: Quem lembra o passado com certeza sofre duas vezes. Mas voltando ao passado uma pessoa que conviveu, morou e usufruiu do meu lar, que graças a Deus sempre teve muito amor e carinho pairando pelo ar, e posso dizer que as paredes das casas as quais moro, costumam ter boas memórias, acredito muito que a gente quando mora em lugar não passa apenas por passar naquele ambiente, nos ali emanamos um gama enorme de sentimentos nos quais muitas pessoas não acreditam, mas que ficam incrustadas nas paredes e mesmo com a mudança saindo e fazendo-se grandes reformas ali, ficam resquícios de que ali houve alegrias, amores, dores e sofrimentos, isso é verídico e até mesmo foi tema para um livro. No qual do seu lançamento eu mesmo questionei como era possível tal coisa, mas hoje vejo que isso é verdade.

Não só li tal livro como também estou sentindo isso em minha pele, pois descobri que pessoas que passam pela casa da gente, costumam sempre deixar os seus rastros ora bons e ora péssimos que são capazes de abaixar até o mais alto astral.

Uma pessoa vil é capaz de qualquer coisa, até mesmo se passar de caridosa e de uma bondade impar, mas tudo de fachada, pois a mesma fica sempre a sua sombra, respirando o seu ar, lendo os seus pensamentos, copiando a sua personalidade e também sua gargalhada e até mesmo capaz de deitar na sua cama no seu momento de ausência pra poder copiar os seus passos, isso que eu chamo de uma verdadeira sombra, uma sombra negra, ruim, daquelas que não conseguem enxergar a claridade nem de uma luz de mercúrio de uma avenida vazia, fria e abandonada. Porque na realidade essa pessoa pode até ver o sol, mas se esconde, pois a claridade não só mostra as imperfeições que o tempo e a poeira da idade trouxeram e sim a maldade incontida, num ser que carrega sobre seus ombros um sentimento ruim, sentimento esse que chamamos de inveja, pois ela não conseguiu ser feliz, não encontrou o amor, não obteve sucesso em nenhum empreendimento, só se aproximou de pessoas do mesmo naipe e não se deu conta que não lucraria nada com isso, nem mesmo em nível de intelectualidade, e ao ver que as pessoas que não pensam assim e se dão bem, se sentem bem, respiram bem e até mesmo tem amigos acaba por incomodar. E mesmo a distancia esse sentimento de frustração e inércia acaba por aflorar pelo próprio ar que respira e acredito que quando essa pessoa ao olhar para o céu e ver as nuvens brancas sendo levadas pelo vento, e que por muitas vezes se mostram como paisagens e figuras, no seu sentido é tudo tão sombrio e negro que a própria esperança de encontrar o seu amor próprio se perdeu em seu olhar. Isso que eu digo que é conviver com um inimigo e tão próximo e com um DNA tão 99%, mas mesmo que a sua passagem seja breve ou demorada, terá que voltar várias vezes pra poder aprender a entender o que significa várias palavras, AMOR, MÃE, FAMILIA e LAR. Enfim até mesmo de uma cidra que é tão amarga a gente consegue fazer o doce e tirar a acidez, quem dirá de um ser tão pequeno, que nem mesmo se encontrou ainda.Que Deus o proteja de si mesmo.

terça-feira, 9 de junho de 2009


Hoje, 09 de junho de 2009, um dia que seria como outro qualquer, afinal uma data a mais no calendário, mas que como já era de se esperar, meu irmão Alicio Rodrigues Junior – 28/10/1961 + 09/06/2009, o mais velho de quase 48 anos veio a falecer, vitima de câncer, onde lutou tanto e tinha uma vontade imensa de viver, só que a doença, a dor e o cansaço foram mais forte do que o ser humano poderia suportar.

Nem sei como expressar esse sentimento, algo tão estranho, tão visceral e dolorido que nem mesmo a mais sábia inteligência humana conseguiria traduzir em palavras. Porque por mais que em todas as famílias sempre se tem problemas conflitais. Me vejo perdendo um irmão, filho do mesmo pai e da mesma mãe, uma parte de mim e que me viu nascer e que acompanhou boa parte da minha vida e que hoje eu vou chorar a dor da perda, essa dor imensurável e que daqui alguns dias se transformará em uma dor de saudade.

Não sou dado a ficar me lamentando e nem tão pouco questionar os segredos da vida e nem da morte. Prefiro encarar que ele descansou, fez a sua passagem e que lá em outro plano espiritual estará melhor, sem sofrer e sem barreiras pra enfrentar.

Se ele errou, errei também e se acertou com certeza vibramos, e estou relatando isso no meu Blog pra expressar que se pode fugir de quase tudo nessa vida, mas nunca, jamais e em momento algum se foge da velhice, da justiça divina e da morte, esta ultima não perdoa nada e nem ninguém, por onde passa deixa a sua marca registrada e no meu caso foi o primogênito da minha família.

Valeu irmão, Deus esteja contigo e dê o conforto necessário a todos que te rodeavam e paz a seu espírito e que você meu irmão ( nunca o chamei de irmão ) se conforme com a sua passagem pro lado de lá. Até um quem sabe um dia. Desabafo do seu irmão Marcelo.

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Ah como é ouvir boas musicas!

Nesses últimos dias eu tenho quase que obrigado a ficar em casa por alguns problemas pessoais e pra evitar maiores complicações, então como eu adoro ouvir música, eu simplesmente me dou ao luxo de ouvir de tudo um pouco, claro que não chego ao cumulo de colocar no CD Player algo que só venha a fazer barulho e a que não me passe nada, gosto de musica em si, mas as bem cantadas, a bem sonorizada e as que mesmo que seja a melodia me passe algo de bom, até mesmo as que me provoquem lágrimas de saudade, estão valendo.
Por isso achei interessante em passar para o escrito aquilo que estou ouvindo e sentindo, um mischio ( mistura em italiano) alegria, preocupação, tristeza e vontade de ficar quieto no meu canto sem nada pra me importunar e nesse ínterim coloquei um cd pra tocar, onde tem tudo de bom, musicas de boa qualidade, as vezes românticas, as vezes dançantes, uma obra de arte que está registrado e ao alcance de qualquer pessoa que tenha um bom ouvido, um ser auditivo, que só de tocar o primeiro estrofe entende que é uma boa musica.
O CD no qual me refiro não está na mídia e nem tão pouco foi feito grande propaganda em cima dele, mas quem o ouvir com certeza vai concordar comigo que é um show de bola, lindo, bem cantado e cá entre nós deve ter tido lá uma produção nada tão grandiosa afinal a sua cantora, que já estaria na casa dos 80 e que não era mais nenhuma menina pra aparecer na TV, estou falando da Emilinha Borba – Emilia Savana de Souza Costa da Silva Borba – 31/08/1923 – Rio de Janeiro/RJ + 03/10/2005 e o CD é o Emilinha Pinta e Borba com vários convidados, nesta obra de arte a gente pode ouvir de tudo e com certa maestria que é de parar pra se ouvir e pensar, ela passou e deixou o seu recado, muitas vezes mal compreendida e criticada pelos senhores ditadores de moda, mas o que é moda e a critica? Sendo que eles levantam quando é interessante pra algum mercado e que de repente jogam no fundo do poço e em tal ostracismo, pois não é tão interessante ao mundo comercial, pois é, assim que funciona.
O mais interessante desse CD é que a cantora consegue passear entre vários ritmos, chega a cantar samba-canção, forró, românticas e até mesmo um certo samba daqueles que só de ouvir nos traz alegria aos olhos e sem deixar de citar que até uma versão modernizada de um marchinha de carnaval, ela consegue deixar a sua marca registrada, chamo em particular à atenção pra duas faixas que eu adoro: Dia Lindo, Nossa Senhora Emilinha e Sonhos e Pernas, lindas, lindas, Vale a pena ouvir e guardar, já que o Brasil não é bom de memória, Eu Marrod terei o prazer de lembrar de coisas boas que tenham passado diante dos meus olhos e entrado aos meus ouvidos.
Valeu Emilia.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

AS APARÊNCIAS ENGANAM

Olha, eu já vi de tudo nessa minha maravilhosa existência com a qual poucas coisas me surpreendem e uma delas é ver que Deus existe realmente.
Como nós vivemos em um mundo consumista em todos os sentidos, principalmente da beleza e as pessoas que são desprovidas de tal, chegam a ser deixadas de lado, pois não vendem capas de nem tipo de revista e nem embalagem de produto algum. Mas gostei tanto do tapa com luva de pelica que essa moça deu não só aos jurados do programa que ela se apresentava, mas sim em todos que a assistiam, chegou sem nenhum apetrecho e ainda por cima creio que tenha ido da maneira mais simplória que ela possa ter criado em seu visual pra poder causar exatamente o sentimento que deixou a todos boquiabertos.
Se ela tivesse um corpão, um belo par de seios ( mesmo que siliconizado ) tivesse ido à um famoso cabeleireiro, colocasse amostra partes do corpo nem precisaria de talento, bastaria rebolar ali por 3 minutos e fazer caras e bocas com certeza, seria aplaudida de pé, afinal pra que talento pra quem não precisa dele? Pois é assim que a mídia mundial funciona e assim que ela ganha em dinheiro.
Mas eu adorei, fiquei encantado e emocionado com o fato dessa pessoa chamada Susan Boyle e sendo fora dos padrões de beleza, e passando por necessidades e chegando a ir creio que a um tipo de Show de Calouros americano, chegou lá, humildemente e até mesmo rindo da própria desgraça e todos os presentes ( júri, platéia e creio que até os telespectadores) riam e a subestimavam, até que de repente, ela disse que iria cantar e não foi lhe dado nem sequer a credibilidade para faze-lo e creio que por muito pouco não a convidaram pra se retirar. Ainda bem que não o fizeram.
Ela simplesmente começou a cantar, com uma voz maravilhosa, com uma harmonia e dentro do tom que deixaria muitas, mas muitas cantoras mesmo, até famosas de queixo caído, ela arrasou, soltou a voz e que voz linda.
E assistindo a um show desses fico a pensar, quem tem o dom não precisa se montar, ser isso ou aquilo e nem tão pouco vender nada mais do que o talento que Deus lhe deu, e deu de coração. Costumo dizer quando alguém vem me apontar algum defeito alheio: Essa pessoa tem alguma qualidade, porque Deus pode até errar, mas não erraria tanto assim, dito e feito, ela não nasceu linda pros padrões de beleza, mas nasceu com a voz que muitas lindas expostas na TV, Rádios e INTERNET nem em sonho tem. Com certeza deve ter causado inveja há muitas e não demora muito alguém vai pensar em querer ganhar algo em cima da linda voz, ela pode até não aparecer frente às TVs, mas nem precisa, o talento dela é maior do que essa parafernália toda e saibam que o vídeo dela na Internet no youtube foi visto por milhares de pessoas, com voz que ela tem, ela vai a qualquer lugar, foge ao controle publico. Parabéns a Susan Boyle, ela merece. Vale à pena conferir http://www.youtube.com/watch?v=aqfHQ-53Ca0&feature=related
e saber que AS APARÊNCIAS ENGANAM!!!!

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Vale à pena assistir


Após uns dias sem escrever aqui por motivos particulares e com uma imensa vontade de relatar algumas coisas que andei assistindo, vendo, sentindo e ouvindo, mas que em momento próprio com certeza os relatarei, já que não tenho o compromisso diário de me manifestar.
Nesses dias nos quais me dediquei exclusivamente a minha pessoa e ao meu lar, aproveitei pra dar uma boa assistida em filmes que sinceramente estão de bom tom e do meu agrado, e um que mexeu comigo, me comoveu e me deu até animo pra poder escrever aqui foi o “La vie en rose“ um documentário sobre a vida da cantora Edith Piaf – Edith Giovanna Gasson – 19/12/1915 + 11/10/1963 – Paris/FR, conhecida como La Môme = Pequeno Pardal. É um filme apaixonante, emocionante e até mesmo comovente.
No filme a gente pode ver de tudo, e poder constatar até mesmo a cumplicidade que alguns amigos de celebridades têm em não serem invasivas nas mais sórdidas atitudes tomadas por eles, e que mesmo com tanta pompa, fama e até mesmo poder, chegam a ter ali relatado as suas fraquezas, seus fracassos e as suas ansiedades, que por vezes chegam a causar-lhes danos irreparáveis.
Neste filme pode-se ouvir várias canções e até mesmo algumas apresentações da cantora pelos famosos teatros de Paris e do mundo, uma cantora que não tem sequer algum apetrecho nos moldes de beleza francesa, de estatura baixa, um rosto nada chamativo, muito magra e até mesmo sem postura e desajeitada e não muito ligada ao visual mas, que quem a ouvia cantar, parava e pensava, pra que? Tanta pompa, tanta arrogância sendo que a mesma estava ali cantando e cantando lindamente, plenamente e arrasando corações e pouco se importando com quem a olhava, afinal o dom de cantar ela tinha e sabia muito bem o que fazer, tanto o fez que ainda hoje podemos assistir um filme de sua vida, pena que não cheguei a assisti-la na TV pois nasci 2 anos após a sua morte, mas ficaria honrado de ter feito parte daquela época, na qual onde pra ser cantora ou cantor era preciso muito mais do que qualidades físicas, o talento de Edith Piaf após mais de 40 anos de sua morte está ai, no cinema, lojas de CDs, internet e onde mais a curiosidade de uma pessoa de bom gosto e fã possa imaginar e pesquisar.O filme em si é pura emoção, do começo ao fim e o cume de tal sentimento ao meu ver foi quando ela perdeu o seu grande amor que se chamava Marcel e na ultima cena na qual ela ao leito de morte, lembra-se de toda a trajetória de sua vida e desse amor que a fazia sofrer e cantar, o término do filme se dá com a musica Je ne regrette rien – Charles Dumont – Lindo, maravilhoso, vale a pena assisti-lo.

terça-feira, 3 de março de 2009

Com ou Sem???

Hoje o assunto é meio que sério afinal quando se trata da saúde tem de ser sério mesmo apesar de que muitos a estejam banalizando e deixando certos cuidados de lado. Principalmente devido a carência da idade, que geralmente acontece em maior numero com a mulher e depois dos 60 anos. A maioria das minhas amizades geralmente é com pessoas mais velhas e tenho notado no decorrer dos anos que a idade, a aposentadoria e o abandono fazem com que se sintam deixadas de lado e até mesmo num poço sem fundo, afinal a mulher após a menopausa começa a ficar carente, ficar preocupada com o visual e sem contar que muitas ficam tão abandonadas que a própria família a deixa só como se fosse um móvel em total abandono dos cupins, cupins esses que na realidade existem: menopausa, vista fraca, osteoporose, bursite e todos os Ites que o corpo feminino adquiriu com o passar dos anos e sem contar que mesmo com a evolução dos anos e da mentalidade feminina muitas ainda não se deram conta de saírem à luta e correrem atrás do prejuízo e algumas ficam tão afoitas que saem à caça de tudo que passar pela frente e visando apenas a quantidade e não a qualidade, e aí que mora o perigo.
O homem quando fica velho também tem as suas mazelas e mesmo assim se acha o bonzão e sem contar que devido a ser desprendido de certas coisas nunca se dá conta de estar fazendo papel de ridículo e aí acaba levando vantagens sobre as mulheres, um senhor de 60 e poucos anos, aposentado, se acha um gatinho, coloca uma camisa mais ou menos florida, uma bermuda, uma meia branquinha e um par de tênis e até mesmo um chapéu ou boné e acha que está arrasando e sai a caça. A mulher já se acha mais vaidosa pra poder esconder a poeira da idade e procura usar umas roupas um tanto largas e sapatos não tão altos assim, manda dar uma pintada nas madeixas e até mesmo carrega na maquiagem pra poder não deixar as famosas bolsas a amostra, pois o peso da vaidade é muito grande e vem com séculos e séculos incrustado na cultura feminina.
Mas o que me deixou meio que preocupado é no sentido da saúde e da carência, o homem nunca vai deixar de ser homem mesmo sendo um broxa e só servindo mesmo pra ocupar espaço na cama e a mulher na cabeça dos machistas sempre será algo vulgar se passar da linha ditada por eles, e agora com essa emancipação feminina, elas simplesmente estão mais audaciosas e indo a caça só que estão pagando um preço pra lá de caro, pois estão se esquecendo de manter um cuidado muito sério que é o uso de preservativos na relação, certo que já tem uma idade avançada, mas não é por isso que estão perto de morrer, se fosse assim não teríamos a mulher mais velha do mundo que acabou de completar 129 anos. O índice chega a ser alarmante afinal de uma década pra cá o percentual saltou na faixa dos 50% a ocorrência da AIDS nas mulheres acima dos 60 anos e o porquê disso tudo? Ao assistir uma entrevista de uma senhora contaminada, a mesma relatou que isso se devia ao parceiro ter pedido pra não usar o tal preservativo e que chegou até ao cumulo de fazer chantagem emocional e dizer que se a mesma não fizesse sexo com ele sem camisinha era sinal de que ela não o amava. E a mesma acabou por ceder e infelizmente estava contaminada por esse vírus. Vírus esse que está rondando, apavorando a todos desde década de 80, quando aconteceu o famoso boom da doença e que era noticia e que chegavam a comentar que se uma pessoa infectada passasse perto de uma sã, só de olhar era provável uma contaminação, mitos foram deixados de lado e muita coisa foi e está sendo feita pra se livrar desse mal, mas não é por isso que devemos abrir a guarda e deixarmos de nos cuidar, e a experiência que tantas pessoas têm e principalmente a intuição feminina não é de se enganar, deveria dar mais atenção a esse detalhe, sexo e cerveja sempre foram uma boa pedida, mas sexo sempre com camisinha e a cerveja pode ser com ou sem, isso é a critério do consumidor. Vai a minha dica.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Um dia ela acorda....Pra vida

Estou numa fase bem de ficar lembrando coisas boas pra poder não me estressar e nem ficar somatizando chatices e conseqüentemente ficar doente por isso resolvi relatar alguns fatos engraçadíssimos que já presenciei. Eu tenho uma amiga acima dos 60 anos que jura que é uma quarentona e mesmo assim com muito cuidado, tanto cuidado que respondeu o ano de seu nascimento fazendo 4 e 3 com os dedos e a mão sobre a mesa pra que ninguém visse, claro que eu vi, achei engraçado e ainda comentei, nossa Sú você é 3 anos mais velha que o Carlos ( risos ) ela quase teve um piripaque na minha frente e no dia que eu brincando a chamei de tia? Foi hilário ( risos ) Má tia não no máximo prima Má, uma mulher formada, estudou nos melhores colégios, aprendeu a tocar piano, viajada e rica, só fumava cigarros com piteiras e longa e usava cílios postiços e tudo e jamais saia rua sem se produzir, uma perua mesmo. Mas como sou desprendido de idade e dessas babaquices de vaidade acho tão bobo ficar escondendo a idade e dando uma de mocinha e até às vezes fazendo papel de ridículo pra chamar a atenção, chega a ser feio, mas voltando ao assunto:
A Sú é uma mulher que nasceu em berço esplendido com tudo a que tinha direito, tudo mesmo, acho que nunca lavou uma peça intima, nunca pegou no cabo de uma vassoura e nem tão pouco as suas mãos sentiram a poeira de uma flanela usada ( risos ) só andava de carro com chofer e ar condicionado pra não sentir calor, nunca acordava antes das 15 horas, alias não sabia nem o que era dar um duro pra ganhar o pão nosso de cada dia. Aí um belo dia seu pai veio a falecer e ela resolveu sair de seu apartamento de frente pra praia de Pitangueiras – Guarujá/SP e foi morar em uma cidade do interior, região de Sorocaba, em uma fazenda que posso dizer era tudo de bom, vários quartos, todas as mordomias e um mundo de regalias, afinal tinha a grana da herança pra usufruir. E a parte mais engraçada das coisas era que ela não se permitia a pegar o próprio copo de água pra tomar e nem tão pouco o cafezinho e adorava contratar empregados, esses serviçais mesmo, desses que fazem tudo e até moram na casa da patroa, pois já viu né, vai ser ocupado direto e folgas semanais e em dias diferenciados para não ficar em total abandono ( risos ) tinha empregada pra cozinhar, pra limpar a casa, tinha administrador da fazenda, chofer e até uma aia pra sua mãe que já tinha mais de 80 anos.
Bom, um belo dia a cozinheira da casa se cansou de tanta frescura e se demitiu, e ela teve de arrumar outra em caráter de urgência afinal ia ter uma recepção em sua casa e onde já se viu uma madame sem cozinheira? E como no interior se arruma muito emprego por indicação de algum funcionário, arrumaram uma dita cuja para ser cozinheira da Su, uma mulher de meia idade, casada e com filho e tudo mais, e como o seu marido também estava desempregado, ela convenceu a Su a contratá-lo pra cuidar dos cães já que a minha amiga também gostava muito de cachorros, pronto ai foi que a coisa desandou ( risos ) Minha amiga não admitia que os funcionários ficassem circulando pela casa a toa e que cumprissem os seus deveres, pois a mesma quando acordava lá pelas 15 horas no mínimo, já vinha na intenção de olhar todos os detalhes para ver se estava tudo de acordo a seu gosto. Pra vocês terem uma idéia ela acordava às 15 horas e só saia de seu quarto após as 17 horas, pois através de sua campainha com controle remoto e tudo, tocava incansável mente pra pedir, água filtrada e refiltrada, cafés e até o maço de cigarros que estava bem dizer ao alcance dos seus olhos, mas que ela não poderia pega-lo. E como ela era a vaidade em pessoa e cheia de não me toques, tinha cabeleireiros pra atendê-la em sua casa, manicures e pra todos, ela tinha apenas uns quarenta e poucos anos e a vaidade chegava a tanto que chegava a diminuir a idade da própria mãe pra não dizer que já tinha passado dos 60 anos, um belo dia conversando com uma turma que eu conheci em uma das várias vezes em que fui a aquela fazenda e cidade, me contaram que o apelido dela era sessentona semi-virgem, eu quase morri de rir, pois a mesma nunca havia se casado e nem tão pouco sido mãe e que devido à cidade ser de difícil acesso a empregos e ela tinha o seu dinheiro, voltando à cozinheira recém contratada, ela era casada e tinha um filho e devido a mãe e pai trabalharem e morarem na fazenda da Su a criança circulava por toda a casa e até se divertia, tanto que um belo dia a minha amiga acordou com o barulho da criança e foi ver o que era, e quando saiu do quarto irritadíssima com o horário e com o rosto inchado de tanto ficar com ele no travesseiro e cabelo em desalinho, a criança virou pra ela e disse: Oi tia ( risos ) Ela passada com esse tia nem respondeu e chamou a cozinheira e disse que ali não era lugar e nem horário pra se fazer barulho e nem criança brincar e por incrível que pareça se dirigiu a cozinha pra pegar um copo da água ( tadinha ) ao atravessar aquela porta estivo vai e vem, deu de cara com o marido da cozinheira, o famoso rapaz que cuidava dos cachorros, simplesmente ele não disse nem bom dia e nem nada, soltou um sonoro: E aí coroa ? – Olha ela ficou tão passada, tão indignada que foi incapaz de chamar a sua atenção. E pela primeira vez ela voltou pro quarto de imediato e me chamou e caiu na risada e sinceramente eu fui obrigado a dar uma gargalhada daquelas, afinal quem se preservava tanto e tinha medo da idade, ser chamada de coroa é o fim. Ai eu falei amiga não é por nada, mas o tempo passou, ela fez de conta que não entendeu, mas um dia ela acorda pra vida e vê que os tempos mudaram e que ela pode correr de tudo, mas nunca poderá fugir da justiça divina, da velhice e da morte porque dessas três fases ninguém escapa. É a lei natural da vida.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Ah se eles trabalhassem!!!!

Como todo mundo sabe, moro no litoral sul de São Paulo, há uns 90 quilômetros da capital, mais popularmente conhecida como Perola do Atlântico. Uma cidade que bem dizendo é bonita sim, mas que ao meu gosto está muita a quem de ser uma senhora cidade, aqui tem todos os defeitos e um pouco a mais por ser uma cidade pequena e com muita politicagem e que sempre atravancam o progresso e o bem estar de seus cidadãos.
Mas tirando as chatices é uma cidade em que se pode viver, senão com certeza eu já teria me mudado daqui há tempos.
Eu quando não morava aqui e vinha a passeio mais parecia um lagarto ou um calango, não saia da praia, do sol e vivia com o meu bronzeado sempre em dia, quem me via jurava que eu era moreno de tão bronzeado que eu vivia, cheguei até fazer permanentes nos cabelos para ficar bonitinho. Bom o tempo passou, as madeixas caíram e restam poucos fios de cabelos e agora mais brancos do que pretos e o bronzeado, coitadinho foi-se embora de tal forma que estou mais branco do que a branca de neve ( risos ) e que nem as minhas caminhadas que eu fazia pelas areias da praia e chegava a andar mais de 4 horas entre ir e vir pelas praias das Astúrias, Pitangueiras e até mesmo a Enseada ( tem 7 quilômetros e que um dia eu cheguei a ir ao fim dessa praia e voltar na caminhada mesmo) e hoje não passo nem perto do calçadão e nem da areia e muito menos me banho, perdi o tesão e me encheu o saco. Ainda mais em alta temporada que a cidade fica com uma população acima de 1 milhão de pessoas sendo que a população efetiva é de apenas 300 mil habitantes. E como a praia aqui principalmente a mais famosa e conhecida e central é a de Pitangueiras fica lotada e é a que eu mais gosto, procuro evitar mas nem é por causa das pessoas porque não chego a ser tão anti social mas é por culpa dos famosos guardas-sol que ficam todos enfileirados, todos alinhados e numa sincronia tão perfeita que sobra pouco espaço para os que gostam de caminhar chegar até a margem da praia, tal fato é tão irritante dá a impressão que a praia é propriedade dos senhores zeladores dos prédios que a demarcação é visível e todos com o nome do prédio e numero dos apartamentos marcados nas cadeiras e nos guardas-sol e chegam até ter funcionários extras na época do ano que se encarregam de levarem toda aquela parafernália pra praia e ficam lá tomando conta pra ninguém sentar, se aproximar e nem tão pouco roubar, agora a praia é um local publico onde a gente tem o direito de ir e vir a qualquer momento mas ali não, pois o espaço é disputadíssimo com as senhores visitantes e também os carrinhos de lanches, camelôs e até umas pessoas engraçadinhas que acha que praia é local pra animal de estimação. Talvez seja esse o motivo que foi me afastando do mar, da praia, do sol, ali é um local maravilhoso pra se exorcizar todos os males e tirar o estresse e até mesmo o olho gordo, mas a ignorância do povo desprovido de educação e inteligência é impar. Prefiro ficar em casa, tomo a minha cerveja sossegado, não tenho gastos extras e nem tão pouco fico a noite a arder devido a queimadura da exposição ao sol. Gostaria que a lei federal usada na praia das Astúrias fossem estendidas as outras praias e assim não tivessem tantos obstáculos para se chegar a beira da praia e fazer minhas caminhadas e que os famosos fiscais trabalhassem com mais afinco e presteza a seus deveres, afinal lei municipal tem para evitar tais abusos, só falta mesmo quem fiscalize e tome conta. Já que o fizeram pra evitar excursões que seja feita também para esse motivo. A praia é de acesso publico a todos então que o seja sem empecilhos, cadeira, guarda-sol, barracas, e tudo mais.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Só eu mesmo!!!

Tem dias que a gente acorda, dando bom dia para os cachorros, que acha graça em tudo e até mesmo se o tempo fechar pra cair aquele temporal a gente acha lindo, mas em compensação tem dias que se um passarinho cantar perto da gente com certeza vai levar um grito, um passa fora e até mesmo vai ouvir um monte de palavrões.
Eu em um belo dia ensolarado acordei com o meu dente o do siso ou mais popularmente conhecido como o dente do juízo doendo, mas doendo tanto que sinceramente cada fisgada que ele me dava que eu ia às portas do céu, batia, esmurrava e chegava a ver São Pedro abrindo a porta pra mim e voltava pra terra tamanha era minha dor. E como sou tão louco que acabei com tudo quanto era remédio para dor e nada de passar, e fui ao dentista pra ele sei lá fazer o que, extrair, arrancar, tomar alguma providencia pra que aquela dor que mais parecia um coração pulsando dentro da minha boca, parasse de me incomodar. Bom fui ao dentista o tal de tão boa vontade mexeu no meu dente, cutucou, abriu, fechou, fez um curativo e me mandou pra casa e disse não posso fazer grande coisa por estar infeccionado e me deu aquela receita daquele remédio horroroso e no ato comprei e tomei mais um pra aliviar a minha dor. Bom como era cedo, e tinha um mundo de coisas pra fazer, não foi um dor de dentes que ia abalar com os meus alicerces e nem tão pouco acabar com o meu dia.
Bom voltando pra casa fui ao centro de Cotia (cidade a 30 quilômetros de São Paulo) onde eu morei por 7 anos, pois precisava pagar umas contas e comprar um colchão novo e um gabinete para colocar na minha cozinha. Até ai tudo bem, mas, quando eu já tinha passado por tudo em questão de dor e perturbação, estava voltando pra minha casa, e de preferência pra deitar um pouco e relaxar. Mas que nada: bem no meio do caminho me apareceu uma família pela frente e puxou papo comigo tipo como se me conhecessem mas eu não me lembrava e eles foram tão incisivos comigo que eu me assustei, e ficaram puxando papos e querendo saber de tudo, sinceramente eu não me recordava naquele dia nem do meu nome e se bobeasse e fosse olhar no espelho não saberia dizer quem eu era, quem dirá uma família inteira em plena calçada e que faziam anos que não os via. O mais engraçado disso tudo é que eu como sempre estou na defensiva e fui me afastando deles e dizendo – Olha gente eu nunca vi vocês na minha vida e nem sei de quem se trata. O senhor veio no ato e disse: - Você tem certeza que não me conhece e nem a minha família? Mais rápido do que um gatilho, disse – Nunca vi vocês e nem tão pouco os conheço e nem sei de quem se trata. Meu ledo engano.
O Senhor simplesmente disse: - Seu nome é Marcelo, filho da dona Joana, seu irmão chama-se Wilson e você morava na rua tal, numero tal em tal bairro? Respondi – Isso mesmo e como o senhor sabe disso? Ele virou e me disse: - Eu sou o seu João, que tinha um bar nessa mesma rua e que a sua família toda freqüentava a minha casa e a minha ia à sua. Puts, quase morri de vergonha, sinceramente nem sabia onde enfiar a minha cara linda naquele momento e só me restou um pedido de desculpas e ainda completei – Chamando o senhor lá pelo apelido e tudo que eu me lembrei dizendo: Olha fulano me desculpe, mas é que eu estou com uma dor de dentes daquelas e tomei todos os remédios que tinha para a dor e com esse calor eu não estou conseguindo nem pensar direito, me despedi e fui de fininho pra minha casa, porque só eu mesmo pra dar um fora desse. Ninguém merece (risos)

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

QUEM MUITO FALA

Eu adoro animais, alias todos os animais e não seria tão insano a tal ponto de dizer que os peçonhentos fariam parte do meu convívio, mas sinceramente eles têm lá sua beleza e o seu lugar junto à natureza. Eu sempre tive animais em minha casa, de coelhos, tartarugas (jabuti), peixes em aquário, cachorros de diversas raças e tamanhos, pássaros e tudo mais só o único que ainda não tive e tenho esse desejo de ter ainda é um papagaio que por incrível que pareça é meio complicado devido aos meios legais e órgãos de defesa dos animais. Mas quem sabe um dia.
O que me deixou triste é ver que algumas pessoas estão criando certos animais com o intuito da malandragem, da maldade e para o mundo do crime. Há algum tempo atrás eu assisti a uma reportagem sobre um coelho que era alimentado com maconha e que já estava tão viciado que ficava totalmente agressivo com a falta de tal alimento, uns bandidos que carregavam uma cobra e pra poder obter os seus furtos sem muita reação a usavam como arma e saqueavam a vitima (já foram presos) aqui pelo litoral tinha um tal sujeito que usava um cachorro da raça pitbull pra intimidar também as suas vitimas e lá no Rio de Janeiro, cidade maravilhosa usavam jacarés pra lá de irritados e arredios pra poderem morder, e que mordida, em pessoas que não estivesse de acordo com o sistema deles, e a ultima que eu vi realmente é o fim da picada, é a banalização contra os animais e a natureza.
Uma senhora de 81 anos, cafetina e no mundo do crime, tem um apartamento no centro velho de São Paulo, boca do lixo mesmo, onde ali se viraram meninas de vida nada fácil e a tal senhora vendia as suas drogas, e com o auxilio de um papagaio a alertava quando da entrada de pessoas estranhas naquele recinto, até o presente momento eu não entendi muito como ele definia se a pessoa era estranha e o porquê, afinal ali era uma casa de saturação e o famoso entra e sai e o bate porta deveria ser constante. Como será que a dita cuja dona do mafuá conseguiu dar a esse animal lindo por excelência esse péssimo discernimento, dele poder avisar e tudo mais. Pois quando eram clientes com certeza, o bichinho nada fazia, vai ver que tinha até uma certa intimidade com os freqüentadores assíduos daquele antro, e quando era uma pessoa comum ou policial o danadinho dava um alarme, e tão preciso que nem os alarmes residências e bancos são tão eficazes assim. Isso é que é inteligência e perspicácia
Agora esse animal foi tirado da natureza, onde vivia, para viver sobre a guarda de uma mulher que o usava com péssimas intenções e com certeza, ele deve ter adquirido alguns vícios devido a convivência e que sem qualquer margem de duvida nunca mais vai poder voltar a natureza e que provavelmente irá parar em algum zoológico e até mesmo uma instituição para ficar de quarentena porque não vão deixar ele ficar junto aos outros animais até que façam todos os exames, ainda bem que é um pássaro e assim sendo acredito eu que não tenha doenças tão graves assim, já que convivia em um ambiente imundo no meio de preservativos, drogas e lixo, de quinta categoria e até mesmo de sua gaiola de onde poderia assistir a diversas coisas que ficarão marcadas na memória desse pobre e lindo bichinho. Bem diz o ditado: Quem muito fala, acaba dando bom dia a cavalo, no caso dele, deu uma de olheiro contra policia, se ele soubesse com certeza soltaria fogos. É demais.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Será que é falta de cerveja?

Essa é pra rir e muito, eu e uma amiga estamos passando por problemas banais na saúde e que se Deus quiser logo estaremos mais loucos do que já somos de nascença e por esse motivo estamos meio que em jejum de não tomar nem sequer um copinho de cerveja e olha que a gente é capaz de tomar caixas ( risos ) Ai eu contanto a ela que tive um piripaque, um sensação horrível e ela me contando que teve de fazer um cirurgia na boca, que teve de abrir a gengiva e mexer no osso do maxilar e como eu já passei por isso sei da dor que é e papo vai e papo vem, alias quando eu e ela nos juntamos no MSN sinceramente é coisa de policia, porque o que sai de besteiras, palavrões e coisitas a mais, nem queiram saber, mas também é confidencial né.
Ai nesse eu e ela estávamos vamos dizer totalmente fora do ar, afinal não tínhamos tomados nenhuma e nem éramos a toda poderosa do plim plim que fica 24 horas no ar. Estávamos mesmo em brancas nuvens, alvinhos, puros como dois santinhos, mas nem tanto, porque a quantidade de álcool estava zero, mas a língua ( risos ) estava mas ferrenha do que nunca, eu como sempre um deboche em pessoa e como sempre de um sarcasmo impar e como ela é ariana como eu não perde o pique, que mesmo estando com dor eu a fiz dar uma gargalhada mas já é de costume.
Bom eu comecei o papo falando da boca dela e ela dizia que não era na boca e sim no osso do maxilar e coisa e tal e eu pentelhando e agora não vai poder tomar nenhuma cerveja e você está tomando algum remédio? Ela disse: Estou um pra dor e um antiflamatório, ai eu como sempre disse: bom como eu já fiz esse tipo de cirurgia, colocava bolsas de gelo, e até mesmo pegava cubos de gelo colocava em um saco plástico e enrolava na toalha e colocava em cima pra amenizar e sinceramente amenizava a dor do corte e ardência ia embora, e falei tome coisas frias e nada de se animar com o gelado e cair na cerveja. Pronto motivo de risos. E como você está assim nada de ficar sugando a saliva, deixe normal que assim facilita a cicatrização e pelo menos uns dias você vai ficar com a boca parada. Nem sei quando, mas de repente eu me dei conta de perguntar e ela sobre um namorado, mas usando códigos, pois nunca sei quando tem alguém perto dela e assim evita ser indelicado e como tem pessoas que não pode ver um conhecido no MSN que se acha no direito de virar anjo da guarda e ler as mensagens ( papo pra outra postagem) Ai eu falava amiga e aí tudo bem com os seus sistemas? Ela respondeu tudo. Disse que legal alguma novidade? Algum progresso? Ela dizia está tudo bem, tudo ótimo e eu continuei batendo papo até que em determinada hora eu citei sobre a profissão dele: ela simplesmente falou uma coisa totalmente diferente, mas de tal forma que eu fique meio que passado e disse-lhe: Amiga você não está me entendendo ou eu estou fora do ar!!! Ela segura de si disse: que eu é quem estava ( risos) e ainda citou uma pergunta que eu fiz bem lá na frente sendo que a mesma tinha sido feita sobre sistema e ela quem trocou as bolas ( risos ) aí começou o nosso debate e o nosso papo de bêbado sem álcool, eu de um lado dizendo amiga você não está bem e ela Marrod você não está falando coisa com coisa. Aí me lembrei uma vez de visto a Hebe Camargo dizendo que: ao telefone falava com uma amiga e uma perguntava de um fulano, assim assado e queria saber o nome dele e a amiga dela respondia, mas fulano assim que estava em tal local era bonito, qual mesmo o nome dele? Nenhuma das duas conseguia lembrar o nome do dito cujo, papo de louco. Sinceramente tem dias que a gente acorda meio que fora do normal e comete umas gafes danadas, mas nesse dia eu e amiga, sem álcool, sem cerveja e no cru mesmo estávamos mais insanos do que nunca até que o fim do dialogo foi bem assim: Bom querida, já que não estamos bem e fora de sintonia e vou sair da Net pra nanar. Ela respondeu: Eu também vou sair porque estou com dor e tenho de descansar. Disse: Boa noite amiga e amanhã nos falamos. Ela: Boa noite fique com Deus e se cuida. Respondi: Ok vou me cuidar e irei ao médico amanhã. Ela: tudo bem, mas eu vou cobrar, pode estar certo disso. Disse: Ok agora vou, beijocas e coloquei um desenho do MSN que faz menção de estar indo embora. Resumindo nenhum dos dois mesmo não estando bem, não terem tomado nenhuma loura gelada e ser tarde não queria largar o papo da Net.Tente imaginar se os dois tivessem com umas e outras na cachola, ia ter assunto pra dias de Blog, pois normalmente já falamos quase que diariamente e de tudo. Como eu digo sempre: O que a cachaça não fizer.... Nada mais faz. ( risos )